Ir para o conteúdo principal

Projeto de Anderson Pereira obriga hospitais e maternidades oferecem treinamento de primeiros socorros aos pais de recém-nascidos

segunda-feira, 19/08/2019 às 09h13min
Projeto de Anderson Pereira obriga hospitais e maternidades oferecem treinamento de primeiros socorros aos pais de recém-nascidos

O deputado estadual Anderson Pereira (Pros), apresentou na última sessão legislativa, Projeto de Lei que obriga hospitais e maternidades no âmbito do Estado de Rondônia oferecerem aos pais e/ou responsáveis de recém-nascidos, orientações e treinamento de primeiros socorros em caso de engasgamento, aspiração de corpo estanho e prevenção de morte súbita.

De acordo com Anderson, esta propositura tem como finalidade, disciplinar por meio legal a obrigatoriedade aos hospitais públicos e privados a procederem instruções aos pais dos recém-nascidos, que são as pessoas mais indicadas para serem treinadas e dessa forma estarem salvando a vida dos filhos, caso deparem com tais situações desesperadoras.

No dia 05 de julho, policiais militares do Estado do Mato Grosso, salvaram de um recém-nascido, que estava engasgado com chá de alecrim, caso que repercutiu em todo o Brasil. Ocorre que os militares chegaram com brevidade. O policial explica que colocou o bebê de bruços, deitado em cima do antebraço e usou o dedo médio e o indicador para dar leves tapas de pressão nas costas do bebê, momento em que a criança expeliu o líquido e chorou ao voltar a respirar evitando que o bebê fosse a óbito.

Para o parlamentar, muita das vezes os setores de urgência emergência não conseguem chegar a tempo para salvar a vida de crianças recém-nascidas ou prematuras, sendo o preparo dos pais a melhor opção no atendimento em primeiro momento.

“Entendemos que o objetivo do nosso projeto é de alta relevância, pois tal procedimento e preparo evitará que vidas prematuras sejam ceifadas, quando ocorre um acidente por razões das mais adversas, e os pais não estão adequadamente preparados para enfrentá-las”, destacou Anderson.

A propositura segue para votação dos deputados estaduais e após aprovação em plenário, aguardará a sanção do governador.