Ir para o conteúdo principal

Deputado Anderson repudia forma covarde em que policial penal foi morto durante possível tentativa de assalto em Porto Velho

quarta-feira, 01/06/2022 às 07h24min
Deputado Anderson repudia forma covarde em que policial penal foi morto durante possível tentativa de assalto em Porto Velho

Durante discurso realizado na tarde desta terça-feira (31), na sessão ordinária da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Anderson Pereira (Republicanos), lamentou e repudiou a forma covarde em que tiraram a vida do policial penal, André Monteiro Almeida de 38 anos, durante tentativa de assalto, ocorrido na noite de sexta-feira (27) em Porto Velho.

O policial estava com a família em casa quando o criminoso, um adolescente de 15 anos, encapuzado, pulou o muro da residência e anunciou o assalto. André teria reagido e houve troca de tiros. O policial penal foi atingido com tiros na cabeça, tórax e braço. O filho dele, uma criança de apenas 6 anos, foi baleado na mão direita.

“O que nos revolta, não só os policiais penais, mas todos os agentes que compõem a segurança pública, é que esses criminosos, principalmente membros de facções criminosas, estão recrutando menores de idade, justamente por saber que a lei penal é branda para eles, para cometerem esses crimes, posso dizer que não “dá nada”, no linguajar popular. Eles praticam assaltos, latrocínios e quando vão presos, em menos de um ano já estão nas ruas comentando os mesmos crimes, isso precisa mudar”, destacou Anderson Pereira.

“Se os membros da segurança pública vivem na insegurança dentro dos municípios aqui nosso estado, imagine quem não é da segurança. Precisamos rever os conceitos sobre segurança pública, discutir inclusive sobre a maioridade penal para endurecer cada vez mais as leis sobre menores que praticam crimes contra a vida de pessoas inocentes”, acrescentou.

“Uma política pública de segurança deve ter a capacidade de articular a repressão e prevenção ao crime, tem que trabalhar com a participação e envolvimento dos demais atores da sociedade e a própria sociedade, o que se pode denominar de prevenção social em detrimento do vigente sistema de prevenção criminal”, finalizou o parlamentar.

VEJA DEPOIMENTO DO DEPUTADO DURANTE SESSÃO ORDINÁRIA DESTA TERÇA-FEIRA: