Ir para o conteúdo principal

Deputado Anderson, Fenaspen e Sejus discutem implantação da Polícia Penal na constituição do Estado de Rondônia

sexta-feira, 31/01/2020 às 16h41min
Deputado Anderson, Fenaspen e Sejus discutem implantação da Polícia Penal na constituição do Estado de Rondônia

Em reunião realizada no plenarinho 1 da Assembleia Legislativa de Rondônia, o deputado estadual Anderson Pereira (Pros), juntamente com o presidente da Federação Nacional Sindical dos Servidores Penitenciário (FENASPEN), Fernando Anunciação, vice-presidente Ronaldo Rocha, secretaria geral Jacira Maria e representantes da Secretaria de Justiça (Sejus), discutiram assuntos relacionados a regulamentação da Polícia Penal no âmbito estadual.

De acordo com o presidente, Fernando Anunciação a implantação terá como previsão aproximada de 06 meses devido a estudos elaborados para equiparar o sistema prisional estadual ao estilo usado pelo do Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

Conforme a PEC 372/2017, a Polícia Penal será uma instituição permanente para preservação da ordem e disciplina no sistema penal e a escolta de condenados ou presos provisórios, sendo dirigida por diretor-geral, cargo privativo de policial penal, de livre escolha, nomeação e exoneração do governador do Estado.

Anderson Pereira foi indicado foi indicado pela Fenaspen, para compor o Grupo de Trabalho que vai elaborar Minuta para a Lei Federal, que vai regulamentar a Polícia Penal no âmbito da União e irá subsidiar às Polícias Penais estaduais e do Distrito Federal na regulamentação de suas respectivas leis regionais.

Em Rondônia, o tema será debatido em audiência publica com a participação de entidades representativas, governo e assembleia legislativa, para dar encaminhamento ao projeto de lei que vai incluir no artigo 144 da constituição estadual essa nova polícia no rol da segurança pública.

CONTRATAÇÃO EMERGENCIAL OU TEMPORARIA

Representantes da Secretaria de Justiça negaram rumores de contratação emergencial ou temporária no sistema prisional rondoniense, uma vez que o ingresso se dar apenas por meio de concurso público como afirma o artigo 22 da Lei complementar nº 728/2013, que dispõe quanto ao ingresso à carreira da Secretaria de Justiça.

A Polícia Penal alinhada às demais Instituições de combate ao crime trará o reconhecimento da atividade policial já exercida pelos profissionais do Sistema Prisional, abrindo o leque de atuação intra e extra muros, seja no cumprimento de prisões, recaptura, inteligência, além de retirar alguns policiais militares e civis que ainda trabalham em carceragens, devolvendo-os ao policiamento ostensivo e investigativo. A sociedade merece mais segurança, o sofrido Povo Brasileiro merece a Polícia Penal.