Ir para o conteúdo principal

Deputado Anderson é condecorado com Medalha Delegado Mauro dos Santos

terça-feira, 09/07/2019 às 20h49min
Deputado Anderson é condecorado com Medalha Delegado Mauro dos Santos

O deputado estadual Anderson Pereira (Pros), foi condecorado com uma das mais importantes comendas da segurança pública do Estado, a Medalha Delegado Mauro dos Santos. O delegado foi figura importante na Polícia Civil, primeiro a ser aprovado no concurso do cargo, morto durante cumprimento de suas funções.

A solenidade de entrega aconteceu na última sexta feira (5), no auditório do Instituto Federal de Rondônia (IFRO-RO). O evento organizado pela Secretária de Estado de Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec) e Polícia Civil, tem como objetivo, dar reconhecimento aos importantes trabalhos prestados pelos homenageados.

A honraria concedida ao parlamentar destaca o trabalho que ele vem realizando na sociedade. Como presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa, Anderson busca meios de preservar a ordem pública num elo entre Civil, Militar, Bombeiros, Sistema Prisional e Sistema Sócio Educativo e Polícia Judiciária estando sempre em atuação no fortalecimento do setor na busca de melhores estruturas, condições dignas de trabalho, concursos e investimentos.

O parlamentar agradeceu à direção geral da Polícia Civil, secretário da Sesdec e toda organização pela indicação, se colocando à disposição de ouvir os anseios da classe e de todas as demais, “pois a segurança sempre reforçada resulta em uma sociedade protegida”, disse.

A honraria foi recebida por meio de representante, uma vez que o parlamentar está em viagem fora do Estado.

Medalha Mauro dos Santos

A medalha “Mauro dos Santos” foi instituída por meio do Decreto 11.580, de 13 de abril de 2005, pelo então governador do Estado de Rondônia, Ivo Cassol, atendendo a um pedido do delegado e deputado estadual na época, Paulo Moraes. Mas só na gestão do governador Marcos Rocha foi constituída a medalha física.

O delegado “Mauro dos Santos” foi assassinado por investigar madeireiros que estavam cometendo crimes na região de Espigão do Oeste. Teve uma breve passagem pela Polícia Civil, conhecedor de quatro idiomas, foi o 1º colocado na classificação do concurso público para o cargo de delegado e 1° colocado na Academia de Polícia (Acadepol).