Ir para o conteúdo principal

Deputado Anderson defende que governo contrate novamente ala do Hospital do Amor e aumente número de leitos de UTI para não precisar fechar o comércio

quarta-feira, 20/01/2021 às 16h47min
Deputado Anderson defende que governo contrate novamente ala do Hospital do Amor e aumente número de leitos de UTI para não precisar fechar o comércio

Os dados do Portal do Covid-19 da SESAU apontam que atualmente  90,5% dos leitos de UTI, em Porto Velho, estão ocupados e que há 152 leitos ocupados, existindo apenas 16 livres. Os dados apontam que por volta de 30/07/2020 e datas posteriores haviam aproximadamente 185 leitos disponíveis.

Atualmente, sem o contrato da ala do Hospital do Amor, chegam a 40 leitos perdidos, em relação a quantidade existente anteriormente. Com a contratação dos novos leitos, atualmente teríamos uma ocupação abaixo de 70% de ocupação, não sendo necessário o sacrifício da nossa economia, fechando as portas do comércio. É lamentável  ter que  restringir  circulação da população e fechar o comércio sem antes colocar todos  leitos em funcionamento.

Hoje em Porto Velho existem entre 40 a 50 leitos de UTI parados porque o governo não contrata pessoal e não contrata leitos de clínicas privadas, que possuem leitos sobrando,  para atender as demandas do estado, sacrificando o comércio e o pequeno empresário. Além do que poderíamos preservar vidas que estão morrendo esperando uma vaga  leito de UTI.

A contratação desse leitos, por parte do governo, poderá poupar vidas que são perdidos em razão da doença, evitaria o fechamento do comércio, evitando desemprego e déficit na economia local.

Apesar de ter chegado em nosso estado a vacina contra Covid-19, o primeiro lote vai imunizar apenas 1% da população do estado. Sem uma data definida para a chegada do segundo lote é necessário  manter as restrições, fazendo uso dos EPI’s, como uso de máscaras e utilização do álcool em gel, evitar aglomerações para cessar a proliferação do vírus SARS-CoV-2, causador do Novo Coronavírus, dessa forma poupando vidas até que toda população esteja imunizada.