Ir para o conteúdo principal

Deputado Anderson critica proposta apresentada pelo sindicato a categoria e pede sensibilidade do governo em resolver crise no sistema penitenciário

quarta-feira, 14/08/2019 às 08h52min
Deputado Anderson critica proposta apresentada pelo sindicato a categoria e pede sensibilidade do governo em resolver crise no sistema penitenciário

Durante discurso realizado na terça-feira (13), durante a primeira sessão ordinária de retorno dos trabalhos na Assembleia Legislativa, o deputado Anderson Pereira (Pros), voltou a defender a valorização dos servidores públicos estaduais, em especial a categoria no qual faz parte, agentes penitenciários e agentes de segurança sócios educativos que lutam pelo tão sonhado e justo realinhamento salarial proposto e acordado com o governo que segue tramitando no judiciário.

Em sua fala, Anderson destacou que servidores público de diferentes órgãos tiveram ao longo dos anos seus reajustes inflacionários e também a inclusão do Plano de Cargos Carreira e Salários (PCCS), tendo ficado de fora os servidores do poder executivo estadual da administração pública direta, que amargam mais de seis anos sem a reparação.

Preocupado com situação, Anderson atuou de todas as formas para estreitar os laços com o executivo e buscar um dialogo visando uma negociação, para avançar na proposta de realinhamento. Após reunião entre o representante da categoria, Singeperon e o governo, surgiu uma proposta que o sindicato apresentou aos servidores em assembleia geral, um reajuste salarial dividido em percentuais por classe sendo: Classe 1 – 5,14%, Classe 2 – 5,65%, Classe 3 – 14,48% e Classe Especial – 15,84%, muito abaixo do déficit de aproximadamente 30% dos mais seis anos sem revisão. O executivo ainda sugeria, que em contrapartida do reajuste haveria alteração na escala de serviços, passando da atual para a escala de 12/24 – 12/48, sendo esta fora da realidade, pois é uma escala exaustiva e onerosa.

O parlamentar afirmou ser totalmente desfavorável a proposta com contrapartida de alteração de escala de serviços, pois a mesma não agrada a categoria e é diferente do acordo feito judicialmente. Caso a proposta se torne oficial, Anderson Pereira sugere que a contrapartida seja retirada, deixando-a para ser incluída na aprovação do PCCS.

O deputado ainda destacou que a atual situação dos servidores, que tiveram um pequeno reajuste no ano de 2014 de 5.98%, causa angústia, desespero e por este motivo, juntamente com o sindicato deliberaram movimentos como a Operação Legalidade, trabalhando dentro do que diz a legislação vigente, com objetivo de chamar atenção do governo para buscar uma solução aceitável. “Esperamos que o governo seja sensível aos problemas e atenda positivamente a categoria, que ao longo dos anos vem sofrendo com a falta de valorização. Sabemos que o sistema carcerário é muito frágil e requer uma atenção especial, outros estados tem sofridos por não reconhecer o servidor como parte fundamental para um sistema forte e seguro, esse pedido que encaminhamos ao governo e para juntos sentarmos e acharmos a melhor solução que atenda a categoria num todo”, finalizou o parlamentar.